√ČRICA HINDRICSON

Iniciou seus estudos de piano e teoria musical aos 9 anos de idade, completando-os posteriormente no Conservatório Musical Beethoven, onde formou-se em 1989, o mesmo ano em que iniciou o Curso de Composição e Regência na Faculdade Santa Marcelina. Em 1990 ingressou na Escola Municipal de Música, onde estudou trompa com Ozéas Arantes e matérias teóricas com Osvaldo Lacerda. Em 1992 transferiu seu curso de Composição e Regência para o Instituto de Artes da UNESP, onde graduou-se em 1994.

Estudou regência coral com Naomi Munakata, Marcos Júlio Sergl, José Ferraz de Toledo e Samuel Kerr, regência de banda com Roberto Farias, regência orquestral com Lutero Rodrigues, Ronaldo Bologna, Graham Griffiths, Roberto Duarte, Mario Benzecry e Eleazar de Carvalho (foi convidada a integrar sua classe de alta interpretação em Regência nos anos de 1995 e 1996).

Em 1993 recebeu da OEA, Organização dos Estados Americanos – EUA, uma bolsa de estudos para representar o Brasil no “Curso Interamericano para Jóvenes Directores de Orquesta”, realizados por 3 anos consecutivos na Venezuela, onde recebeu orientação de Mario Benzecry (Argentina).
Além deste curso, participou de diversos festivais de música, como o Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival de Música de Cascavel, Oficinas de Música de Curitiba e Festivais de Artes de Itú.
Dentre as principais orquestras que regeu, destacam-se a Orquesta de los Llanos Occiddentales (Venezuela), Orquesta Sinfónica de Lara (Venezuela), Orquesta Sinfónica de Chile, Orquesta de Cámara Guaireña (Paraguai), Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Filarmônica da Avon, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra de Câmara L’Estro Armônico, Orquestra de câmara e Coral Arco-Íris, de Osasco, e também a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo.

De 1992 a 1997 foi regente do Coral da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo.
De 1996 a julho de 2000 foi a Regente Assistente da Orquestra Experimental de Repertório, cargo que conquistou através de concurso realizado em dezembro de 1995.
Em 1997 foi a vencedora do “1o. Concurso de Dirección Orquestral” da Orquesta Sinfónica de Chile.
Atualmente é Regente Assistente da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, e integra o corpo docente da Universidade Livre de Música Tom Jobim.

“Durante o concerto, se destacou a forte personalidade da maestrina Érica Hindrikson, com grande domínio sobre as partituras e sobre os instrumentistas.
Obteve respostas disciplinadas dos executantes; mostrou em cada momento sua familiaridade com as obras e realizou um esplêndido trabalho de guia e de acompanhante.
Foi muito importante a inclusão de “Batuque”, de Oscar Lorenzo Fernández neste programa. Este sulamericano selou a aliança espiritual entre os dois países, e permitiu a Érica Hindrikson e à orquestra darem uma excelente impressão”. (Frederido Heinlein, do jornal “El mercurio”, de Santiago/Chile, em 07 de dezembro de 1997).