BENITO JUAREZ


É um dos regentes de maior expressão no cenário artístico nacional e internacional. O público e a crítica especializada do Brasil, E.U.A., África e Japão têm-lhe tributado verdadeira consagração. Premiado três vezes como o melhor regente do Estado de São Paulo, pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA), recebeu dessa entidade o "Grande Prêmio da Crítica", a mais alta honra concedida aos músicos do país e, pela primeira vez atribuída a um regente. Foi aluno do regente H.J. Koellreutter, estudou violino com Gabor Buza e Altéa Alimonda, teoria da música,
composição e estética com Damiano Cozzella, Ernst Widmer e Yulo Brandão. Professor, organizador e diretor de importantes instituições musicais: Sinfônica de Campinas e do Coral da USP.

O seu imenso e diversificado trabalho tem sido marcado pela eficiência e alto nível artístico. Em 1990 participou como professor de regência do II Festival Internacional de Arte da Manfredônia - Itália. Obteve grande êxito apresentando-se também com regente convidado junto à Orquestra "Gli Academici di Milano". Realizou extensa tournée de concertos por 15 países europeus, 6 países africanos e várias cidades dos Estados Unidos.

É regente convidado das principais Orquestra Brasileiras. Sua discografia, à frente da Sinfônica de Campinas, compreende a realização de 8 LPs, incluindo a primeira gravação integral dos Cinco Concertos para Piano e Orquestra de Villa-Lobos. Gravou em vídeo a Ópera "O Guarani", de Carlos Gomes, além do Ballet "O Lago dos Cisnes", de Tchaikowsky. Em março de 1992 fez sua estréia no Japão, com enorme sucesso, regendo a Orquestra Sinfônica de Gifu.

Em 1995 foi distinguido pela Prefeitura em Gifu, com o convite para dirigir o concerto de inauguração do Centro de Convenções Nagaragawa, à frente da Orquestra Sinfônica daquela cidade japonesa. A apresentação solene,realizada no amplo e moderno teatro para 2000 pessoas, contou com a presença de autoridades, do povo japonês, bem como de delegações dos Estados Unidos, China, Áustria, Itália e Brasil. Em novembro de 1996 recebeu o Prêmio de Música Maestro "Eleazar de Carvalho", concedido pelo Ministério da Cultura como melhor regente do país.